VAQUEJADA IMPULSIONA O CRESCIMENTO DO CAVALO QUARTO DE MILHA NO NORDESTE

Notícias-fevereiro/2014



O esporte exerce grande influência no âmbito cultural, esportivo e econômico da região, que já concentra o 2° maior plantel da raça no país

As pegas de boi dos homens a cavalo, dentre a caatinga do sertão nordestino, se transformaram na Vaquejada, um dos esportes mais praticados do país. O chão de terra batida e cascalho deu lugar a uma superfície de areia, com limites definidos e regulamento. A partir da Lei 13.364/2016, a modalidade tornou-se patrimônio cultural imaterial do Brasil. Em 2011, os vaqueiros foram equiparados aos atletas profissionais, conforme Lei nº 10.220.

Além de sua importância cultural, a Vaquejada também exerce grande influência no âmbito esportivo e econômico da região, já que gera renda e emprega direta e indiretamente em torno de 700 mil famílias. Cerca de 3 milhões de adeptos, impulsionam a modalidade em suas mais de 4 mil provas oficiais e oficializadas que acontecem anualmente em todos os estados nordestinos e em outras regiões do país.

O Quarto de Milha é o cavalo preferido dos vaqueiros, devido sua inteligência, docilidade, versatilidade, velocidade, além de outras características que impulsionam a criação nordestina. De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), a região detém o segundo maior plantel da raça no país, ficando atrás apenas do Sudeste que concentra 259 mil exemplares.

Dos 567 mil cavalos registrados no Brasil, 127 mil estão no Nordeste, o que representa 22% do volume nacional. A região também reúne 26 mil proprietários e 14 mil criadores. “Eles investem fortemente no melhoramento genético dos animais, em infraestrutura para provas e na profissionalização da Vaquejada. Tudo isso resulta na expansão da criação local”, afirmou Cicinho Varejão, presidente da ABQM.


Deixe seu comentário